Written by: Poesia

Poesia: Perturbação

Mente inquieta, a razão se esvazia perante os destroços que sou,
A noite se estende perante meu corpo frio, que sentido há?
Que sentido há em uma vida superficial?
Destroços da mente que se acorrentam num mundo simplista de viver,
A inquietação reina perante o estado petrificado do ser que nada habita.
Aonde se pode dar sentido existe essa perturbação?
Aonde há luz em meio a escuridão?
Existe luz no fim dessa estrada?
Não consigo enxergar, mas me sinto num estado de paz que esvazia essa perturbação e enaltece minha razão.
A luz expande perante a escuridão e revela meu estado de deterioração.
Me achego perante à luz e sinto o estado de vida em mim.
Luz reluzente que se veste em graça perante mim.

Leia Também de Diego Linhares
Animal
Casa da Saudade
(Visited 5 times, 1 visits today)
Last modified: julho 6, 2020