02/07/2013 12:11 - Atualizado em 03/07/2013 21:18

Poesia

Poesia: Os lobos canastres

Colaborador
Colaborador
Arte de Escrever
Fugidio e digressivo como um lobo burro (Foto: Divulgação)

É charmoso fingir alguma forma de afetação
Uma farsa um esgar ou algo fora do lugar
Um ar de meditação inteligente desgostoso
Um comportamento canastrão e incoerente

- E muito dos perniciosos

Extremamente indecente como todos sãos loucos
Perdido de alma ferida como todos vão em vão

Fugidio e digressivo como um lobo burro
Que desperdiça o melhor de sua selvageria
Na tentativa de exibir-se para a alcateia

Fodido e corrompido como um homem nulo
Tentando esconder seus mais puros impulsos 
Atrás de camisas sociais e de recatamento

A morte de dentro pra fora
A morte de fora pra dentro

A Colaboradora do Portal, Marina Moura, é poeta e jornalista. Nasceu em Sampa e hoje vive em Belo Horizonte. Gosta de se espantar, de extrair o bonito da realidade e de descrever minuciosamente sensações diferentes. Gosta quando seu gato Francis Bacon sobe no colo enquanto digita seus textos.

Deseja ser um colaborador do Portal? Escreva para contato@artedeescrever.com.br e saiba como.

Comentários

Relacionadas

Publicidade

Facebook