30/04/2013 14:53 - Atualizado em 14/08/2013 14:02

Seu favorito

A ideia fixa pelas goiabas virou minha profissão

José* é estudante de gastronomia, amante da literatura gastronômica e de preparar uma boa torta. O menino do interior, hoje com 24 anos, descobriu em São Paulo novos aromas e sabores

Iveilyze Oliveira
Iveilyze Oliveira
Arte de Escrever
A goiaba fez José se apaixonar pela arte culinária (Foto: Divulgação)

Texto de autoria do Leitor!

Sou de Piracicaba, interior de São Paulo e tenho 24 anos. Quando criança, adorava ficar embaixo da goiabeira que tinha no quintal de casa. Lá eu passava horas sonhando em viajar o mundo e chorava quando levava algumas palmadas. Toda semana ajudava mamãe a fazer goiabada no tacho para papai vender na feira, mas eu queria mais. Queria sair do básico e inventar alguma receita diferente que pudesse aproveitar todas aquelas gostosuras. As pessoas me olhavam estranho. Um homem naquela época não poderia ter sensibilidade culinária.

Comecei a ser mais curioso com as goiabas que apanhávamos pela manhã. Meu primeiro experimento foi preparar um purê salgado. Foi um desastre. Após o episódio, em todos os aniversários, natais e amigos secretos as pessoas começaram a me presentear com livros de receitas. Ora bolas! Eu não queria aprender outra coisa que não fosse com goiabas. Virou ideia fixa. Fui levado ao psicólogo e também para conversar com o padre Serafim.

As coisas melhoraram quando conheci Cecília, minha atual namorada, no dia que prestei vestibular. Fui aprovado no curso de gastronomia; ela, em farmácia, e decidimos morar juntos na capital paulista. Estamos juntos há dois anos e plantei uma goiabeira na varanda. O síndico avisou que serei a pauta na próxima reunião do condomínio.

O curso em gastronomia ampliou meu interesse pelas frutas tropicais do Brasil. Quero criar receitas que valorizem nossas tradições. Temos uma boa oferta de frutas para a produção de suculentas receitas. A goiaba continua sendo minha fonte de inspiração e me aperfeiçoei bastante com leituras especializadas, viajando e colocando em práticas todas as ideias mais loucas e saborosas.

Atualmente planejo abrir uma doçaria e quero muito me aventurar na literatura gastronômica. É uma área cada vez mais focada, com bons profissionais e um material excelente para ser explorado.

Não sei se é educado, mas abaixo a receita da torta que me salva em vários almoços de família:

Guava Pie

1 xícara (chá) de manteiga
½ xícara (chá) de açúcar
1 gema
½ casca de limão ralada
1 pitada de sal
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
350 g de goiabada picada
1 ½ xícara (chá) de leite condensado

Preparo: misture numa tigela a manteiga, o açúcar, a gema, as raspas de casca de limão e a farinha de trigo, aos poucos, até que fique homogêneo. Forre o fundo e as laterais de uma fôrma de aro removível e faça furos na massa com o auxílio de um garfo. Leve para assar no forno pré aquecido (200ºC) por 20 minutos ou até que esteja crocante e dourada. Em seguida, cubra a massa com a goiabada e despeje o leite condensado. Leve ao forno pré-aquecido (150ºC) por cerca de 30 minutos ou até que esteja dourada. Decore com lindas goiabas vermelhas.

Abraços e bom apetite!

*Nome fictício a pedido do autor

Deseja ser um colaborador do Portal? Escreva para contato@artedeescrever.com.br e saiba como.

Comentários

Relacionadas

Publicidade

Facebook