Crônica: Os picaretas da rua Catanduva