Crônica: Um coração partido que causou cegueira

Coração partido. Imagem: Free Pik.

Bete precisou de três segundos para reconhecê-lo. Estava bem mais magro e aquela barriga sobressalente, que ostentava sem querer e que dava volume e forma à camiseta, havia desaparecido. O treino na academia e a reeducação alimentar deram mesmo resultado. Inclusive parecia mais jovem e cheio de vida. De barba rala cobrindo todo o rosto e óculos escuros, ele estava bem mais bonito do que a última vez em que ela o viu.

Ele veio na direção de Bete e de suas amigas e cumprimentou uma por uma, de forma simpática e afetuosa como costumava fazer, mas foi incapaz de perceber que ela estava linda em um vestido vermelho no estilo cigana.

Curioso e irritante é que naquela manhã, quando Bete saiu pelo portão de sua casa em direção ao carro em que pegaria carona, recebeu um gracioso elogio de seu colega que também ocupava uma vaga no veículo.

“Nossa, você está muito bonita de vestido”.
E a outra amiga no carro ainda comentou. “Muito bom receber um gracejo logo cedo, não?”.

Sim, era mesmo. O único problema é que o rapaz do elogio era 15 anos mais jovem que ela. Mero detalhe!

Era jovem, mas enxergava muito bem, e ainda comentou que preferia mil vezes que as mulheres usassem vestido ao invés de calças. “Pela vida corrida e de trabalho que vocês têm, tendo de subir em ônibus e coisas do gênero, acho que fica difícil. Talvez por isso sempre usem calças jeans. Eu entendo. Mas prefiro vestido”, explicou.

Mas voltando a ele, o cara que não via há meses, todos ficaram felizes em revê-lo. Após beijar duas amigas de Bete no rosto e sorrir gentilmente, foi em sua direção, para cumprimentá-la também. Mas, ao invés de olhar para ela nos olhos – como é educado fazer quando se dirige a alguém — os olhos dele estavam voltados para as amigas que falavam trivialidades com ele. Diante disso, o cumprimento foi rápido e gélido. Quase encostou no rosto dela. Quase. ^

Que homem resistiria à beleza e ao charme de uma mulher de vestido?

Bela mulher num belo vestido vermelho. Imagem: Internet.
Bela mulher num belo vestido vermelho. Imagem: Internet.

Rodrigo, ou mais conhecido pelo apelido, Digão!

E olha que não se trata de interesse romântico, nem algo do gênero. O enfoque aqui é apenas a percepção. Nada mais que se dar conta de que existe uma mulher bonita, e mais bonita ainda do que o normal, ali na sua frente, sorrindo, feliz em vê-lo e usando um vestido lindo e estonteante. Vermelho!

Até o Will Traynor de “Como eu era antes de você” quase se levantou da cadeira de rodas quando viu Louisa Clark num vestido vermelho!

Sim, Digão era o único cara da face do planeta Terra que não perceberia nem a Scarlett Johansson, a poderosa Viúva Negra dos Vingadores, num vestido preto ou vermelho sexy. E olha que é praticamente impossível não ver a Scarlett Johansson a quilômetros de distância, trajando um vestido ou carregando uma bacia de roupa suja na cabeça. Impossível.

Atriz Scarlett Johansson. Imagem: Internet.
Atriz Scarlett Johansson. Imagem: Internet.

Lembram-se de uma comédia romântica de 2002 chamada “Encontro de Amor”, protagonizada pela belíssima Jennifer Lopez?

Nesse filme, ela é uma mãe solteira de Nova York que trabalha como camareira em um hotel de luxo de Manhattan. O destino e um mal-entendido fazem com que ela conheça Christopher Marshall, o charmoso herdeiro de uma dinastia política. Christopher acha que ela é uma hóspede do hotel, fica apaixonado, e já se pode imaginar as confusões que surgem a partir daí.

O que é mega interessante nessa improvável história de Cindirela moderna é que num determinado trecho do filme, ela vai encontrá-lo para terminar o “relacionamento”. Ela desce uma luxuosa escada, num poderoso e charmoso vestido justo e sexy, digno de uma mulher poderosa, que ressaltava ainda mais sua beleza e sensualidade. Ele, parado e de pé no saguão, acompanha o trajeto simplesmente deslumbrado. Quando se encontram no final da escada, ela diz:

“Eu só vim aqui para dizer que não poderemos mais ficar juntos”.
Ele sorri e responde prontamente e de forma incrédula: “Então deveria ter vindo com outro vestido”.

Bingo!

Jennifer Lopez no filme "Encontro de amor". Imagem: Internet.
Jennifer Lopez no filme “Encontro de amor”. Imagem: Internet.

Digão deveria andar mais com Christopher Marshall. Ou Will Traynor.

Ok, Digão teve seu coração partido três vezes pela mesma garota. Isso não deve ter sido nada fácil. Talvez explique o fato dele simplesmente não querer mais qualquer aventura romântica. Mas um coração masculino partido, ainda que em mil pedaços, até onde consta na história da humanidade, não cega os olhos dos homens. Ou cega?

Digão ficou interessado por uma moça doze anos mais jovem que ele. Isso não seria um problema se ela tivesse maturidade para um relacionamento. Mas ela ainda não tinha. Era uma garota mimada e cheia de “coisinhas”. Além disso, quando finalmente tomou coragem e resolveu se declarar a ela, dizendo que seus sentimentos eram sinceros e a longo prazo, pesava 20 quilos a mais. Ela simplesmente não correspondeu.

A jovem Nina se importava muito com beleza física, status e fotos no Facebook. Mesmo ele sendo um partido que agradaria a qualquer família, ela tinha outras ofertas no mercado. Não quis sequer lhe dar uma chance. Disse não e pronto.

Meses depois, Nina ficou noiva de um rapaz da sua idade. Digão ficou visivelmente triste. Foi a segunda paulada violenta num coração que ainda estava em cacos. Meses depois, a vida pregou uma peça e o noivado foi desfeito. Nina ficou arrasada e disponível no mercado novamente.

Os olhos de Digão brilharam de novo. Seria uma luz no fim do túnel?

O pai da moça gostava muito dele e enxergava no interesse do rapaz uma oportunidade para a filha ser feliz. Mas Nina continuava encantada com coisas fúteis. Meses se passaram e ela ficou noiva de novo, de outro rapaz. Uma grande surpresa para todos. Não havia se passado nem um ano desde o romance anterior.

E Nina estava tão desesperada pelo dia do “sim” que, para evitar novos dissabores no noivado, em seis meses ela já estava casada e morando em outro estado. Sim, a vida é dura e cruel às vezes, mesmo com caras legais e apaixonados como Digão. Ele novamente perdeu a mulher que amava pela terceira vez. Ôh mundo cruel!

Quando Bete ligou para sua amiga camponesa, que morava na roça e adorava ordenhar vacas, ambas morreram de rir. Quando ela lhe contou a decepção do encontro inusitado com Digão horas antes, a amiga apenas sentenciou.

“Qualquer homem perceberia uma mulher de vestido vermelho”, deu uma pausa, respirou e completou de forma categórica: “quer dizer, qualquer homem que não seja o Digão. Ele não perceberia nem se você estivesse vestida de Carmem Miranda!”.

Ambas morreram de rir.

Deixe uma resposta